Notícia
Vai revisar o seu veículo? Não esqueça de adicionar esses 10 itens.
Vai revisar o seu veículo? Não esqueça de adicionar esses 10 itens.
13/08/2020 às 12:00

Você sabia que a ausência da manutenção preventiva dos veículos está relacionada a 27% dos acidentes rodoviários e urbanos no Brasil? Segundo o Instituto Scaringella Trânsito.

Sabia também que a falta de revisão do seu carro aumenta em até três vezes o risco de acidentes?

A revisão preventiva é uma prática que está totalmente ligada a economia, pois quando desgastadas, as peças tendem a consumir mais combustíveis e afetar a vida útil do veículo.

Listamos para você 10 dos principais itens que devem ser incluídos na revisão do seu veículo. Acompanhe nossa matéria e comente para a gente qual item você acha que está faltando.



1 – Luzes e faróis


Além de acarretar multa e infração de pontos na carteira, dirigir com alguma luz do seu veículo queimada ou quebrada pode envolver a sua segurança, de seus passageiros e de outros motoristas. É inevitável a verificação de piscas, luzes de ré, de freio e também dos faróis. Detectar que um farol está desregulado é fácil, agora perceber que uma lanterna traseira está queimada ou até mesmo quebrada já é um pouco mais difícil.

Recomenda-se que a cada 15 dias haja essa verificação. Você pode fazer isso em casa com a ajuda de algum amigo ou familiar.



2 – Pneus


Realmente é difícil manter o veículo alinhado e balanceado nas ruas e estradas brasileiras, sendo as grandes vilãs com seus buracos e irregularidades.

Os procedimentos de alinhamento e balanceamento devem ser realizados pelo menos a cada 10 mil quilômetros. Mas, se você quiser fazer um teste para saber se o seu veículo está desalinhado, basta pegar uma rua reta vazia e acelerar o seu veículo em até 60 km/h. Se o carro puxar mais para algum dos lados ou você sentir a direção vibrando, pode ser um indicativo de que as rodas estejam desalinhadas.



3 – Freios


Fazer a revisão periódica dos freios e seus componentes (discos, tambor, fluído de freio e pastilhas) é fundamental e indispensável, já que os freios são um dos itens mais importantes para a segurança dos passageiros do veículo e do trânsito em geral.

Vibração no pedal e ruídos na hora em que o freio é acionado são sinais que podem indicar problemas no componente. Por isso, os fabricantes já estipulam quando o sistema precisa ser verificado, normalmente a cada 20 mil quilômetros em carros manuais e 10 mil quilômetros nos veículos automáticos. Mas lembre-se, se você sentir que o carro está com dificuldades na hora de frear ou está sentindo o pedal vibrando, por exemplo, não hesite em levá-lo em uma oficina de confiança.

O fluído de freio também tem que ser conferido. Mas lembre-se, se o reservatório for aberto de maneira incorreta, corre-se o risco de entrar bolhas de ar, prejudicando a frenagem do veículo. Por isso, a verificação sempre deve ser realizada por um profissional qualificado.



4 – Óleos e outros fluídos


O óleo serve para lubrificar e limpar internamente as superfícies do motor, garantindo um bom desempenho do veículo.


O prazo para a troca é com intervalos de 5 mil ou 10 mil quilômetros, além disso, os demais fluidos como dos freios e da direção hidráulica também dever ser verificados.

Todas as informações podem variar e devem ser confirmadas no manual do proprietário.



5 – Filtro de combustível


A função do filtro de combustível, como o próprio nome já diz, é evitar a passagem de sujeira do tanque do veículo para o motor. Há alguns sinais de que a peça precisa ser verificada, como a dificuldade em arrancar ou quando a marcha está lenta, por exemplo. Recomenda-se fazer a troca da peça entre 10 mil e 15 mil quilômetros rodados.



6 – Filtro de Ar


A função do filtro de ar é reter todas as impurezas do ar que entram no motor, além de possibilitar também a verificação do estado do motor. Vale destacar que a peça suja não é sinal de que precisa ser trocada naquele momento, sendo um indicativo de que o filtro está sendo eficiente em reter as partículas que prejudicam o funcionamento correto do motor.

Não existe um período certo para a troca dessa peça, variando com as condições de uso do carro (quem roda muito em estrada de terra, por exemplo, certamente vai se degradar mais rápido do que aquele utilizado a maior parte do tempo na cidade). Recomenda-se a substituição na faixa dos 10 mil quilômetros rodados.



7 – Velas


A vela é um dispositivo elétrico que tem como principal função conduzir a corrente elétrica gerada no transformador até a câmara de combustão, e transformá-la em centelha elétrica de alta tensão, o que da início a combustão, ou seja, a queima da mistura ar/combustível. Geralmente as velas não indicam nenhuma falha, mesmo quando estão danificadas. Por isso, devemos ficar atentos e colocá-las sempre como um item indispensável para ser verificado na revisão do carro.



8 – Embreagem


A embreagem é composta por diversas peças como placa de pressão, rolamento, disco de embreagem, sistema hidráulico, entre outros. Ela é responsável por fazer a ligação entre o sistema de transmissão e o motor quando o veículo está em movimento.

Em média, o conjunto de embreagem tem duração de 100 a 150 mil quilômetros, tendo um desgaste maior os carros que rodam mais na cidade, já que as trocas de marchas são mais frequentes, acionando o pedal da embreagem mais vezes.



9 – Radiador e sistema de arrefecimento


O sistema de arrefecimento serve para manter a temperatura ideal para o funcionamento do propulsor. Ele é composto por mangueiras, bomba d’água, reservatório d’água, ventoinha e pelo radiador.

As revisões desse item devem ser feitas entre seis e oito meses em oficinas especializadas. Caso verificado algum vazamento, é importante levar o carro em uma oficina o quanto antes.



10 – Correia dentada


Assim como as velas, essa peça não dá sinais de desgaste e o seu rompimento pode causar a paralisação total do motor, trazendo um prejuízo enorme.

Essa peça coordena a abertura e fechamento das válvulas do motor, além do movimento dos pistões do cilindro e virabrequim.

Por ser um item essencial para o funcionamento do veículo, alguns especialistas indicam que a revisão deve ser feita de seis em seis meses, sendo aconselhado trocar a correia dentada a cada três anos ou 50 mil quilômetros rodados (o que ocorrer primeiro).



E você? Qual item incluiria em nossa lista? Comente abaixo:




Matérias relacionadas:

Manutenção preventiva = Economia.
Tipos de freios e sua características.
Guia rápido: Pastilha de freio.
Guia rápido: Fluido de freio.


Gostou do conteúdo? Siga a gente no Facebook e Instagram e fique por dentro de tudo!

Fonte: Vida de Motorista